8 de dez de 2010

Obrigada



Essa semana eu ando meio pra baixo, o que é um grande problema pois amanhã é meu aniversário (nham, nham, bolo!!!). Ontem resolvi juntar meus caderninhos de desenho e tal e acabei voltando no tempo, há um ano atrás.

Há um ano atrás eu não tinha muitas esperanças. Não era uma designer, não era uma ilustradora (tá, eu ainda não sou, mas isso não vem ao caso) e estava acorrentada num emprego horrível (alô, SUS?). Trabalhava à noite, numa emergência hospitalar e o que eu fazia durante as insones madrugadas? Desenhava? Sim, claro. Entre um paciente e outro eu ia rabiscando em pedaços de lençois, registrando meus sonhos. Aquele rabiscar fluido, sem medo de erros, deixando a mão correr solta certamente manteve vivo em mim o prazer pelo velho e querido desenho.

Daí que comecei a rabiscar numa agenda velha. E a danada da criatividade foi voltando, e surgiu a idéia de fazer um diário, opa, ilustrado! Começou a gestação da Virgínia então, o rosto dela, os pensamentos, começaram a tomar forma e ocupar as páginas de um sketch improvisado que eu fiz. Logo o Mike também apareceu e com ele toda a idéia contida no Capítulo 1 foi formada.

Então, exatamente no dia 31/12 (ó, papai do céu, eu amo seu senso de humor) eu fui convocada num concurso que tinha prestado. Adeus preocupações, adeus stress.... com a cabeça livre e o coração leve pude trazer o Diário à vida. E sem perceber, sem querer, ele me trouxe de volta toda a esperança que há muito eu havia perdido.

Agradeço imensamente a todos que tem acompanhado o Diário, as tiras meio sem pé nem cabeça desse blog, os rabiscos e as bobagens que posto aqui. Que venha mais um ano, e que continuemos a sonhar juntos.


 
Abraços carinhosos e boas festas,


Cátia Ana.

8 comentários:

profeticos disse...

Parabéns, Cátia. Nessa época em que o meu site tbm faz aniversário e depois sou eu, entendo completamente como se sente em relação à sua obra.

Acho que não somos nós que damos vida aos personagens e sim eles que nos devolvem à ela.

O que deixa ainda mais genial a sua idéia de diário ilustrado.

Você faz a diferença, parabéns de novo!

\o/

Rodrigo Chaves disse...

Realmente, desenhar é uma terapia para tempos difíceis. Ainda mais quando se faz desenhos lindos demais que nem os teus!
Parabéns por esse 1 ano de blog.
Bj

trovador disse...

HAHAHHA, você não é uma ilustradora ainda? xD

Meu deus, quando então me avise o.o

Seus quadrinhos são uns dos melhores que eu achei na internet até agora ^^

Parabens pra você

E acredite, eu que agradeço ^^

Deka Pimenta disse...

Ah, dona! Você sabe que ostras felizes não têm pérolas, né? É assim que artistas trabalham: transformando suas dores em lições de vida e lições de vida em pérolas para o deleite dos que não podem ver.

Uma vez eu li, não sei em que lugar, não sei de quem: "Os artistas são os únicos que têm o dom de perceber a vida mais do que vivê-la. E cabe a eles expressá-la."

Sua missão está sendo cumprida.

;)
Parabéns!

Cafaggi disse...

É bom parar de vez em quando, principalmente no final do ano, e olhar pra tras. Ver tudo que aconteceu, o que está acontecendo e o que queremos que aconteça. Seus primeiros passos foram dados nesse ano, Cátia. E tenho certeza que foram só os primeiros mesmo. Seu trabalho é ótimo, diferente e sincero. E é por isso que nós adoramos ele.
Parabéns pra você. E coma muito bolo hoje. Você merece.

Cátia Ana disse...

Rafael, Rodrigo, Trovador, Deka e Vitor obrigada pelo apoio e incentivo. Conhecer pessoas tão bacanas e de lugares tão diversos é uma das coisas que também me emocionam e encantam ao manter esse blog.

Valeu pessoal.

joão thiago disse...

mais de 3 mil quilômetros me separam da Catia, uma das pessoas mais sensíveis que eu tive o prazer de conhecer. Mais de 3 mil quilômetros, no entanto, não conseguem me separar do seu coração, delicado e suave, como seus traços.

Sua obra é diferente de tudo o que eu já li nos quadrinhos na internet. O uso dos espaços é algo que já compartilhei com ela, algo totalmente diferente, inovador.

Por outro lado, seus roteiros são de uma pureza sensível, coisa única em um mundo corroído pelo sentimento de anti-heroísmo. Sabrina, Mike, Virgínia são sopros daqueles sentimentos com os quais nos desconectamos quando crescemos. É nosso lado criança mais maduro do que nunca.

3000 km. Não fosse isso, noivinha... ah, não fosse isso...

Cátia Ana disse...

Obrigada pelos elogios, João. E também pelas longas horas de msn trocando idéias, elas me ajudaram muito a definir algumas coisas do diário. E da minha vida, porque não?

Pena termos uma definição de distância bem diferente, enquanto para você ela é um empecilho, para mim é apenas mais um detalhe.

Enfim, foi ótimo conhecê-lo, um bom ano pra você, sorte, tudo de bom e até nunca mais.